Uma visão da Hipnose do Coronavírus

Por Equipe HPVB em

Hipnose e o Corona Vírus

A Pandemia do coronavírus (Covid-19) como se sabe, começou na China e se espalhou pelo mundo.

Aliás, no momento onde essa matéria está sendo escrita já temos um total de mais de 650 mil casos confirmados no mundo pelo Rastreador da Microsoft.


Nosso objetivo nesta matéria

No Brasil já temos mais de 3 mil casos espalhados pelos estados.

Hipnose e o Corona Vírus

Esta matéria, entretanto, não tem o objetivo de falar sobre o avanço da epidemia ou os cuidados com a higiene.

Isto já está sendo amplamente divulgado, portanto, aqui vamos falar sobre o caráter emocional e mental dessa pandemia.


Uma visão da Hipnose sobre o Comportamento das pessoas em relação ao Covid-19

Como a Hipnose entra nessa história?

Certamente não como um tratamento para o vírus nem mesmo como uma vacina ou algo assim.


Na hipnose estudamos a comunicação e seus possíveis efeitos, sendo assim, aborda as mudanças comportamentais e emocionais das pessoas.

Tanto as mudanças boas como as ruins, além disso, falamos sobre o motivo pelos quais as mudanças ocorrem.

Já parou para pensar que o Coronavírus não é visível a olho nu, não faz som e só é percebido pelos testes ou pelos sintomas de quem porta o vírus?

Então, como o vírus se comunica?


O principal meio de comunicação do Coronavírus.

Eis a questão, podemos perceber que o principal meio de comunicação do coronavírus são os nossos próprios veículos de comunicação.

Por exemplo, as redes televisivas, notícias, jornais, redes sociais.

Afinal, essas redes de comunicação fazem o papel de comunicadoras do vírus, seus avanços, números de mortes que ele causou, seus efeitos na saúde, na economia.

Lembrando, contudo, que esta matéria não está acusando ou indo contra nenhuma rede de comunicação, apenas falando sobre seus impactos em relação ao coronavírus.

O Vírus não fala nosso idioma, é invisível a olho nu, mas, todos os dias alguém comunica por ele seus feitos.


O que as notícias sobre o coronavírus causam nas pessoas?

Primeiramente, para o receptor das notícias, o ato de ler e imaginar, compreender e assimilar a notícia é como uma experiência.

Se você conhece de Hipnose, sabe o quanto as experiências podem ser Hipnóticas.

Apesar de muitas vezes ser algo em outro estado, em outro país e com pessoas desconhecidas causa impactos em nosso receptor.

Então, seja pela empatia, ou simplesmente por se tornar consciente de uma possibilidade que coloca sua vida atual em risco.

Isso acontece, pois, os impactos emocionais e de comportamentos são desencadeados por crenças e pensamentos automáticos formado por meio das notícias.


Mas, isso varia de pessoa para pessoa

Os impactos podem mudar de acordo com a mentalidade de cada um.

Afinal, os valores, preocupações e as crenças diferentes poderão levar a comportamentos diferentes.

Exemplo:

Uma pessoa em comorbidade pode ficar mais preocupada com sua saúde visto que se pegar o vírus a chance de ser fatal é maior, já um jovem saudável, porém pobre, pode estar mais preocupado em perder seu emprego durante a pandemia e morrer de miséria.


Uma visão da Hipnose do Coronavírus

Como a Pandemia de Coronavírus mexe com nossas emoções

As emoções possíveis são abrangentes, mas, de modo geral as mais comuns são o Medo, a Curiosidade, a Raiva, a Felicidade e a indiferença.

Aliás, vale lembrar que as pessoas são livres para se emocionar e se comportar de formas variadas, inclusive para ir contra regras estabelecidas.

Enfim, sabemos de exemplo de indivíduos que desobedeceram normas de quarentena vigentes durante a pandemia em estados brasileiros e internacionais.

Em seguida trazemos alguns exemplos do que cada emoção pode gerar de crenças e seus comportamentos associados nas pessoas.

Eventualmente é possível que você se encontre nessa lista ou reconheça seus amigos, ou familiares.


Covid-19 e as Emoções:


Medos:


Medo que eu sofra com a saúde:

Crenças:

  • Eu corro um alto risco;
  • Preciso me isolar;
  • Preciso garantir suprimentos e remédios;
  • Acredito estar meio perdido.

Comportamentos possíveis:

Isolamento, comprar coisas em quantidade bem como ficar pesquisando curas ou formas de se salvar na internet.


Medo que os outros sofram com a saúde:


Crenças:

  • Meu risco não é tanto, me preocupo com as pessoas que estão em perigo;
  • Preciso avisar varias pessoas para se cuidarem;
  • Devo cuidar para evitar levar o vírus a outras pessoas.

Comportamentos possíveis:

Envio massivo de mensagens para seus conhecidos sobre cuidados com a saúde, passar na casa das pessoas para levar comidas ou algo para ajudar bem como cuidar da sua higiene para não contaminar outras pessoas.


Medo que eu sofra financeiramente:

Crenças:

  • Vai faltar suprimentos;
  • Vou perder meu emprego;
  • Posso parar de receber,
  • Vou precisar parar de trabalhar;
  • Como vou me sustentar assim, minha situação financeira é mais preocupante que o vírus em si.

Comportamentos possíveis:

Comprar o que pode mais rapidamente para fazer um estoque, começar a racionar alimentos, procurar formas de obter algum dinheiro a distância, negociar um home office, trabalhar da internet, possível descuido com a saúde por conta do medo do vírus não ser tão relevante.


Medo que os outros sofram financeiramente:

Crenças:

  • Vai ter muita gente perdendo emprego;
  • Teremos gente passando fome;
  • Poderemos ter um caos social;
  • Vai levar tempos até a economia melhorar.

Comportamentos possíveis:

Compartilhar dicas de negócios na crise para seus conhecidos, montar redes sociais de apoio, seguir pagando quando pode seus contratados, aumentar sua segurança domiciliar para um possível caos social.

Entretanto, lembre que a pessoa pode ter apenas um ou até mesmo uma combinação destes medos.


Curiosidade pelo novo

Crenças:

  • Isso é algo que eu nunca vi antes;
  • Está todo mundo falando disso;
  • Vou ficar ligado no assunto;
  • Preciso me manter informado para uma eventual necessidade de ação.

Comportamentos possíveis:

Ficar viciado em ver as notícias no celular, televisão, bem como computador, checar as notícias várias vezes por dia, passar a acompanhar novos perfis nas redes sociais que falam sobre o tema.


Raiva/Inconformação com a situação global

Crenças:

  • Isso não podia acontecer agora;
  • Não deviam fechar as fronteiras;
  • Como que algo tão pequeno é tão perigoso assim;
  • Agora as reformas não vão passar;
  • Estou indignado com essa situação.

Comportamentos possíveis:

Ficar dando palpites sobre o que deveria ser feito em suas redes sociais ou então, por prever um caos global é possível que adote o comportamento de ir ao mercado para fazer compras em quantidade.


Raiva/Inconformação com a sua situação

Crenças:

  • Não vou poder viajar;
  • Cancelaram meus eventos;
  • Não aguento mais viver assim;
  • Não é possível que vou ser obrigado(a) a ficar em casa.

Comportamentos possíveis:

Reclamar em suas redes sociais e/ou pelo whats com seus conhecidos, além disso, por se inconformar com a razão das medidas tomadas pode realizar atitudes que o coloque em risco, como ir a eventos, ignorar as medidas de higiene, sair de casa sem necessidade.


Felicidade/amor

Crenças:

  • É uma situação difícil, mas me sinto feliz em poder ajudar (comum em médicos e enfermeiros, por exemplo);
  • Vai ter gente precisando de ajuda e vou ajudar no que eu puder.
  • Apesar da situação eu estou bem,
  • Vou levar tranquilidade e felicidade as pessoas.

Comportamentos possíveis:

Trabalhar em medidas de controle do contágio, redução de danos psicológicos das pessoas, doar algo para os necessitados, seja financeiro, seja de serviço de saúde ou segurança, além disso, também é comum o envio de mensagens para ajudar os seus conhecidos.


Indiferença

Crenças:

  • Me sinto indiferente em relação a essa situação, já tivemos contágios e pandemias anteriormente;
  • Vou seguir trabalhando, o vírus não vai chegar em mim ou se chegar vai ser indiferente e nem vou sentir.

Comportamentos possíveis:

Primeiramente, por conta da indiferença é possível que não adote medidas de prevenção do contágio, não realize compras para uma crise e se for enviar mensagens, seja nas redes sociais ou para seus conhecidos será minimizando a situação.


Importante considerar que normalmente uma emoção é predominante, mas, é possível sentir tanto uma mistura, como alternar entre as emoções de acordo com o momento.


Conclusão sobre as emoções e o Covid-19

Existem outras emoções possíveis de se sentir em relação ao coronavírus, como: nojo, tristeza entre outras, portanto, aqui falamos brevemente sobre algumas comuns entre pessoas aqui no Brasil.

Contudo, espero que você tenha se tornado mais consciente sobre os impactos das comunicações sobre vírus na vida das pessoas.

Agora, pode a partir disso, utilizar esse conhecimento a seu favor bem como a favor da vida de todos os outros tripulantes de nosso planeta terra.

Esta matéria foi escrita por Pietro Silva, especialista em Hipnose e responsável pelo Portal Hipnose para Viver Bem, acompanhe seu conteúdo também no Instagram: @pietro.ms



0 comentários

Deixe seu comentário